A Discussão

Quando dizemos “discussão” inevitavelmente, pelo geral, nossas mentes associam essa palavra a um confronto e não é assim, não ao menos no sentido escrito do termo. É um intercâmbio de informação, onde existem diferentes pontos de vista, temas ou coisas e se pretende chegar a um acordo ou consenso, sempre tendo em conta que este tipo de diálogo deve dar um clima de cooperação recíproca.


Ao ter os falantes idéias diferentes com respeito a um mesmo tema, devem considerar uma série de argumentos para avaliar suas opiniões discordantes; é de modo que ao discutir devem prevalecer as evidências e demonstrações do que se defende ou propõe como verdadeiro.

Existem diferentes formas de discutir, variando segundo os elementos presentes ao momento de realizar a ação e isto determinará as técnicas de discussão, que se classificam segundo o fim que se queira obter deste intercâmbio comunicativo e das características do contexto em que se executam.

TÉCNICAS DE DISCUSSÃO

Técnicas com ou sem audiência

A existência de público determinará a entrega de informação, pois se há receptores, deve-se tentar que estes entendam o tema ou assimilem e tenham sua própria opinião do mesmo.

Coordenação

Numa discussão pode ou não ter um moderador ou coordenador, isto dependerá  se tratar-se de uma discussão espontânea, livre, entre os falantes ou se está em frente a uma discussão dirigida diante do público; neste caso, o moderador cumpri a função de ceder a palavra e ordenar os tempos das intervenções.

FORMAS DE DISCUSSÃO

Phillips 66

É uma discussão de grupo, em que se divide a este em seis subgrupos de seis pessoas a cada um, com o fim que em seis minutos manifestem o que pensam a respeito de um tema proposto.

Quando termina esse período de tempo, um membro de cada conjunto o concluí por seu grupo.

Foro

Expõe-se um tema, pelo geral entre quatro pessoas, onde três delas são os palestrantes e um realiza a função de moderador.

O tema é tratado em frente a um público  que lhe interessa, o mesmo, tem a possibilidade de perguntar, uma vez finalizadas as conferências, que tem uma duração aproximada de 30 minutos a cada uma.

Painel

É quando um grupo de experientes tratam um tema, entre eles, diante de uma audiência, que em ocasiões, desconhecem completamente o tema a expor, mas por médio do painel tem acesso à informação e a entender.

Para isso os palestrantes devem ter um grau altísimo de conhecimento do tema a executar, para que a discussão seja compreendida pelo público e consigam captar as ideias principais e secundárias.

Mesa Redonda

É quando um grupo de pessoas, experientes em algum âmbito comum, se reúnem a conversar de um tema específico. Podem ser três ou mais membros, geralmente não ultrapassa os seis integrantes, considerando a presença de um moderador.

A cada pessoa tem seu ponto de ver o tema e expõe-no, sem que isso implique uma controvérsia, senão que enriquece a discussão em si, pois ampla o espectro de visões com respeito a um mesmo assunto.

A discussão dá-se num ambiente de informalidade, mas responde a uma ordem, que não está previamente estabelecido, mas os experientes devem respeitar a palavra um do outro ou acrescentar elementos a elas, mas sem lhe passar a levar; isto com a ideia de não monopolizar a discussão, senão fazer que todos os expoentes participem e interactúem entre si.

Seminário

Ao trabalhar em grupo um tema determinado fala-se de seminário e realiza-se de modo oral. Deve-se eleger o tema antecipadamente e preparar-se para o momento em que será exposto, já que será adiante de uma audiência que estará atenta a ouvir as conclusões desse trabalho.

Simposio

É quando um tema se examina exaustivamente e é apresentado por um grupo de experientes qualificados (uns três ou quatro), quem numa sessão dão a conhecer seus pontos de vista a respeito do tema, respeitando uma ordem de apresentação, que terá uma duração individual de uns 15 minutos por expoente.

Deve-se ter em conta que o assunto a expor é um tema complexo em que os experientes poderam dar seus conhecimentos para entender e chegar a conclussões em que o auditório o assimile e compreenda.

Estas pessoas podem ser profissionais de diferentes áreas, mas que estão a estudar um tema comum, com o fim de dar saídas, novas ideias ou descobertas do mesmo. Ao finalizar as conferências o moderador abre a palavra ao público.